31/3 – Dia da Saúde e Nutrição

Como uma boa alimentação afeta a saúde

39

31/3 – Dia da Saúde e Nutrição

Como uma boa alimentação afeta a saúde

39 visualizações

Saúde e alimentação saudável, são assuntos que estão fortemente ligados. Uma boa alimentação contribui para uma vida com menos sinais de esgotamento e fadiga psicológica. Sabe-se que o bem-estar de saúde e desenvolvimento do ser humano basicamente são alcançados com o equilíbrio de 4 pilares essenciais:

  • alimentação: variada e saudável
  • sono adequado: em duração e qualidade
  • prática de exercícios: aeróbicos e musculação
  • saúde mental: com controle do stress e ansiedade

Alimentação – O impacto na qualidade de vida

De uma forma global, a alimentação influencia em todos os fatores relacionados a saúde e qualidade de vida. O hábito saudável, de uma forma ampla, reflete em toda a vida do indivíduo, evitando o desenvolvimento de doenças graves e crônicas, consequentemente aumentando sobrevida e qualidade de vida.

Na era de 460 – 377 aC, Hipócrates já afirmava que “nós somos aquilo que comemos”. A frase ficou marcada, e é lembrada até hoje, por sua importância e veracidade.

O que não devemos comer e o que devemos evitar

Simplificando o entendimento da melhor conduta a ser adotada no hábito alimentar, podemos definir as escolhas em duas categorias: 1. Estimular o consumo de frutas, legumes, verduras e vegetais frescos e carne magra.

2. Evitar o consumo de alimentos processados (industrializados), frituras, gorduras hidrogenadas (presentes em sorvetes, salgadinhos, biscoito recheado, chocolate e margarinas), refrigerantes, embutidos (salsicha, linguiça, presunto, mortadela e salame), caldos e temperos industrializados.

Consequências da alimentação inadequada

Comprovadamente, todos os alimentos citados na lista dos inadequados, produzem, desencadeiam, intensificam e agravam doenças. A lista é extensa e esses alimentos estão diretamente relacionadas a Hipertensão Arterial, Doenças Cardiovasculares, Diabetes, Dislipidemias, Obesidade, Osteoporose, Ansiedade, Depressão, Anemia, Gastrites, Doenças Degenerativas e Câncer.

O Guia Alimentar

Existem vários Guias de Alimentação, voltados para cada indivíduo em acompanhamento nutricional, que são de grande valia. Porém, esse caminho deve ser seguido desde o nascimento e perdurar por toda vida, já que sabemos todas as consequências do erro alimentar.

O Ministério da Saúde disponibiliza um Guia Alimentar com passos para serem seguidos, visando a Saúde da pessoa. De forma clara, a alimentação saudável deve ser acessível física e financeiramente, saborosa, colorida, variada, harmônica, segura sanitariamente (cuidados de preparação e higiene).

Devemos manter 3 refeições por dia no mínimo, seguir toda orientação do tipo de alimento a consumir – citada anteriormente, evitar excesso de sal, ingerir água em quantidade adequada e dividir adequadamente o prato da refeição em proporções corretas.

O prato ideal

Além das orientações citadas, na montagem do prato na refeição, devemos dividi-lo em 4 partes: metade do prato (50% da área) deve conter saladas, legumes e verduras. As outras 2 partes devem ser divididas em carboidrato e proteína animal ou vegetal.

A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É A BASE PARA CONSTRUIR UMA VIDA PLENA E FELIZ

Fontes

  • Ministério da Saúde
  • OPAS
  • ABRAN

Saúde e alimentação saudável, são assuntos que estão fortemente ligados. Uma boa alimentação contribui para uma vida com menos sinais de esgotamento e fadiga psicológica. Sabe-se que o bem-estar de saúde e desenvolvimento do ser humano basicamente são alcançados com o equilíbrio de 4 pilares essenciais:

  • alimentação: variada e saudável
  • sono adequado: em duração e qualidade
  • prática de exercícios: aeróbicos e musculação
  • saúde mental: com controle do stress e ansiedade

Alimentação – O impacto na qualidade de vida

De uma forma global, a alimentação influencia em todos os fatores relacionados a saúde e qualidade de vida. O hábito saudável, de uma forma ampla, reflete em toda a vida do indivíduo, evitando o desenvolvimento de doenças graves e crônicas, consequentemente aumentando sobrevida e qualidade de vida.

Na era de 460 – 377 aC, Hipócrates já afirmava que “nós somos aquilo que comemos”. A frase ficou marcada, e é lembrada até hoje, por sua importância e veracidade.

O que não devemos comer e o que devemos evitar

Simplificando o entendimento da melhor conduta a ser adotada no hábito alimentar, podemos definir as escolhas em duas categorias: 1. Estimular o consumo de frutas, legumes, verduras e vegetais frescos e carne magra.

2. Evitar o consumo de alimentos processados (industrializados), frituras, gorduras hidrogenadas (presentes em sorvetes, salgadinhos, biscoito recheado, chocolate e margarinas), refrigerantes, embutidos (salsicha, linguiça, presunto, mortadela e salame), caldos e temperos industrializados.

Consequências da alimentação inadequada

Comprovadamente, todos os alimentos citados na lista dos inadequados, produzem, desencadeiam, intensificam e agravam doenças. A lista é extensa e esses alimentos estão diretamente relacionadas a Hipertensão Arterial, Doenças Cardiovasculares, Diabetes, Dislipidemias, Obesidade, Osteoporose, Ansiedade, Depressão, Anemia, Gastrites, Doenças Degenerativas e Câncer.

O Guia Alimentar

Existem vários Guias de Alimentação, voltados para cada indivíduo em acompanhamento nutricional, que são de grande valia. Porém, esse caminho deve ser seguido desde o nascimento e perdurar por toda vida, já que sabemos todas as consequências do erro alimentar.

O Ministério da Saúde disponibiliza um Guia Alimentar com passos para serem seguidos, visando a Saúde da pessoa. De forma clara, a alimentação saudável deve ser acessível física e financeiramente, saborosa, colorida, variada, harmônica, segura sanitariamente (cuidados de preparação e higiene).

Devemos manter 3 refeições por dia no mínimo, seguir toda orientação do tipo de alimento a consumir – citada anteriormente, evitar excesso de sal, ingerir água em quantidade adequada e dividir adequadamente o prato da refeição em proporções corretas.

O prato ideal

Além das orientações citadas, na montagem do prato na refeição, devemos dividi-lo em 4 partes: metade do prato (50% da área) deve conter saladas, legumes e verduras. As outras 2 partes devem ser divididas em carboidrato e proteína animal ou vegetal.

A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL É A BASE PARA CONSTRUIR UMA VIDA PLENA E FELIZ

Fontes

  • Ministério da Saúde
  • OPAS
  • ABRAN

Últimas Publicações

Veja Nossos Vídeos

O De Bem com a Vida é um portal dedicado a reunir e disseminar boas práticas para saúde, bem-estar e qualidade de vida. Por meio de cartilhas e conteúdo, a plataforma traz informações atualizadas sobre o setor – notícias, legislação, dicas e muito mais. Além de agregar os insights e novidades em alta, o portal é atualizado mensalmente com campanhas de saúde e conscientização. O objetivo é compartilhar conhecimento de forma clara e didática e contribuir para a educação da população.

Inscreva-se
e receba novos conteúdos

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Ler Mais

Política de Privacidade & Cookies